segunda-feira, 23 de junho de 2014

Esperando São João...

Há nas bandeirolas de um junho esquecido
Um tanto de dor de um seco agosto
De uma infância passada
De doces perdidos
De festas lembradas
Agora sem nenhum sentido
O aniversário do tio que chama João
Como o santo padroeiro da folia
E que espera o fim do infinito inferno astral
A alegria e o colorido da família
Cinza diálise
Corpo esperando milagre
Como eu espero.
Espera.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O infinito é outra forma de fim
E findo aqui meus anseios de pedra e de pássara
Não posso voar por ser pedra
Não posso ficar por ser pássara
Finco minhas duras asas no limbo
Não sou essência
Alcanço outra permanência
E fico apenas pedra e pássara.

domingo, 12 de janeiro de 2014

Isto de borboleta que não encontra saída
é como de ser pedra
lançada por mão de menino
e atravessada em vidraça alheia
é como beijo estalado roubado
esperado no sofá da sala
ou como a ausência do beijo
que se pressente e se espera
mas não vem
é como ter tudo por um instante
e o instante é nada.

Amigos reais em meio virtual: