quarta-feira, 30 de maio de 2012

sobre palavras

Difícil conter o efeito da palavra mal dita por mais que sentida
sofrida
vivida
na rima pobre de amor e dor
na tentativa frustrada de amadurecimento
na chantagem vil de quem implora o perdão
prometendo ao outro a paz perdida...


Difícil voltar atrás quando se lançou a semente do joio



Não se recupera a palavra


mal dita ela foge


voa



cria efeitos vários e elimina quem a soprou



Colhe tuas palavras

recolhe tuas dores

e permanece longe

só assim a ferida cicatriza

espera longe os frutos da dor

ainda que.

Difícil conter o sangue que jorra do meu peito e se transforma nas lágrimas que transbordam em minha face...
Difícil conter a dor palavra mal dita e mal lida...
Difícil querer ser e lidar com os paradoxos que se constituem...

terça-feira, 29 de maio de 2012

mais quadras...

Tantas vezes sereia
Tantas vezes seria
Se pudesse ser somente
o que de mim se exigia


Sou peça de jogo complexo
as vezes dama ou rainha
as vezes, porém, cavalo
Centauro! - alguém diria

faço trovas como consolo
de sereia em pedra só
querendo ter pernas novas
que caminhem sem tantos nós


(Fazer quadras enternece minha vontade de virar poeira.... Yani)

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Minha pele


A pele que habito encerra meu corpo em claustro seguro nervos sangue e músculos

(Contidos)

A pele que habito protege e oprime determina conceitos provoca efeitos

(Contém)

A pele que habito me faz e faz sentir é tato sabor e sensação sinestesia de prazer

(Compartilha)

A pele que habito se mostra diferente revela e disfarça constrói o ser

(Camufla)



Sou mais que a pele que habito, mas por ela sou feita permanentemente, contida, contendo, compartilhando e camuflando a pele que habito.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Palavra

Para escrever nada mais importante do que




um espaço em branco no papel ou no blog.
Uma mente cheia de vidas alheias.
Um silêncio produtivo.
Um desejo de refazer.

escrever refazer dizer ser

(verbos que rimam na terminação er
mas fogem da regularidade da conjugação)

palavra que constrói o ato
mas foge da regularidade na criação

Faz

Defaz

é desabafo, poesia, conto, bilhete deixado na portaria é construção, revisão, distração, doação, confusão, inscrição de um ser ex-cêntrico num mundo que já nega os centros, é vida, sou eu, é você também.

Palavra que é.

Palavra que faz.

Amigos reais em meio virtual: