quinta-feira, 20 de maio de 2010

calem-se!

Como falar de poesia num dia que teima em ter vida demais?
Como falar de poesia olhando nos olhos de quem me tem mais e mais?
Como falar de poesia quando tudo o que vc sente e pensa alguém lindamente
e atrevidamente já disse??
Calem drummonds, calem bandeiras e hilst e prados...
Calem baleiros, césars, buarques e calcanhotos...
Calem-se todos vcs, pq hoje a minha vida saiu rimada
Porque hoje verso ou prosa eu sou amada
E quero silêncio pra sentir o presente que se me dá...
quero silêncio pra ouvir o som da vida e do que há,
quero o silêncio pra ser

nada mais... quero o silêncio pra ouvir
a voz que não diz
nada demais...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

presente poético da Rosa de Mariano...

[momento tão complicado, em que sobra tão pouco de mim que fiquei um tempo sem vir aqui... ontem em conversa de vida com meu amigo Olliver recebi o presente que posto abaixo... lindo d+... resolvi postar!]




Era caixinha de costura

Agora é de lembrança

Para quando chegar o tempo

Do esquecimento

Dentro

Um relógio de pulso

Um anel de vidro

Um broche de prata

Todos enrolados

Num lenço branco

Com letras azuis

Bordando amor

Olliver Mariano Rosa
ás 23:22
para minha amiga Yani

Amigos reais em meio virtual: